AOC Saint-Émilion e Saint-Émilion Grand Cru

AOC Saint-Émilion e AOC Saint-Émilion Grand Cru

Se o nome de Saint-Emilion abriga uma vila histórica fortificada registrada como Patrimônio Mundial da UNESCO, também conta com duas denominações de origem controlada de fama mundial- Saint-Émilion e Saint-Émilion Grand Cru (nesta denominação, os vinhos podem se beneficiar das menções “Grand Cru Classé” ou “Premier Grand Cru Classé”).

Geograficamente entrelaçadas, essas duas denominações desfrutam de uma enorme diversidade de solos e subsolos e oferecem vinhos de uma grande variedade: flexível, potente, fina, frutada ou mineral. Se as áreas dessas duas denominações se fundem, apenas os melhores vinhos terão direito à denominação Grand Cru.

Todos eles carregam os valores de convívio, autenticidade e alta qualidade.

Localizada na região de Bordeaux, na margem direita da Dordogne, a vila de Saint-Emilion domina desde o alto uma histórica região vinícola. Saint-Emilion, construído graças à onipresente pedra calcária em seu porão, foi construído em torno de uma forte identidade medieval, ainda intacta hoje.

Sua história do vinho origina-se da presença romana, através das legiões de Crasso, alguns anos antes de Jesus Cristo; depois no século 8, com a chegada de um monge bretão, chamado Emilion, que veio se instalar em Ascumbas para uma retiro espiritual. Emilion, reconhecido por suas grandes qualidades de coração, foi amplamente apreciado pela população local. Uma comunidade foi criada na vila, acompanhada pela instalação de outras congregações religiosas. Ascumbas se tornou assim uma cidade monástica com arquitetura excepcional, conhecida hoje como Saint-Emilion.

Dinamismo e inovação estão intimamente ligados à vida e à história desta vinha ancestral desde que em 1884 foi criada a primeira união de vinhos na França.

Em 1936 reconheceu-se a denominação de origem “Saint-Emilion”, a qual serão adicionados, em 1954, três novos AOC: Saint-Emilion Grand Cru, Saint-Emilion Grand Cru Classé e Saint-Emilion Premier Grand Cru Classé.

Hoje a denominação Saint-Émilion abrange 5.400 hectares distribuídos entre 860 vinicultores.

AOC Saint-Émilion- possui 1.171 hectares

AOC Saint-Émilion Gran Cru- possui 4.160 hectares

A vinha se estende por vários municípios vizinhos de Saint-Emilion, entre os quais contamos Saint-Christophe des Bardes, Saint-Etienne de Lisse, Saint-Hyppolite, Saint-Laurent des Combes, Saint-Pey d’Armens, Saint-Sulpice de Faleyrens, Vignonet e Libourne.

Todos esses municípios compartilham as qualidades do solo específicas da denominação de Saint-Emilion e reúne vários elementos essenciais para a produção de vinhos de alta qualidade, aonde podemos destacar alguns componentes que formam o seu Terroir:

– O solo e exposição solar- Saint-Emilion possui 4 famílias de solos (calcário, argila-calcário, pedregosos e arenosos), formando uma paisagem de colinas, entre encostas, planaltos, altos terraços e planícies.

– O Microclima- Saint-Emilion e seus arredores são influenciados por um clima oceânico temperado, as diferenças de temperatura entre verão e inverno são moderadas e as chuvas são relativamente bem distribuídas ao longo do ano, local perfeitamente adequado para o cultivo de videiras, e a Merlot em particular

– O homem- que com know-how, experiência, domínio e a atenção dada à vinha pelos viticultores e na elaboração do vinho dado pelos vinicultores, finalizam o tríptico vencedor da produção de grandes vinhos em Saint-Emilion.

Os vinhos de Saint-Emilion são compostos principalmente de Merlot, a uva dominante da vinha de Saint-Emilion e vinhedos vizinhos, como Pomerol. De fato, se essa variedade de uva é vinificada, hoje, em muitos países do mundo, é aqui, em Saint-Emilion, que expressa toda a sua complexidade e sua tipicidade.

Merlot é uma uva vermelha, com pequenas bagas pretas. Sua cor é escura e densa. Os aromas que emite são predominantemente frutos vermelhos. Esta paleta aromática evoluirá durante o envelhecimento para dar lugar, entre outros, a notas de ameixas secas, vegetação rasteira e especiarias. Os taninos são muito distintos. Produz frequentemente vinhos qualificados como sedosos, elegantes, aveludados, sutis, cheios de charme e requinte, graças a uma videira cuidadosamente cultivada que produz uma notável qualidade de frutas.

Em Saint-Emilion, a Merlot está associado principalmente ao Cabernet Franc, mas também ao Cabernet Sauvignon e, mais raramente ao Malbec. Essas misturas aprimoram o Merlot, promovendo sua estrutura, seu poder e contribuindo para sua complexidade aromática. De fato, as possibilidades geram um grande número de expressões, paletas de nuances visuais, olfativas e gustativas representativas desses vinhos excepcionais.

Classificação de Saint Emilion Grand Cru

Em 1948, o primeiro controle de qualidade dos vinhos foi implementado por meio de degustação, que dois anos depois, em 1950, deu origem a uma classificação para os vinhos da denominação. Em 1952, um projeto de regulamento de classificação foi elaborado de acordo com o Instituto Nacional de Denominações de Origem.

Em 1954 o Conseil des Vins de Saint-Émilion elaborou a classificação especifica para os vinhos de Saint-Émilion, a qual foi concluída em 1955 e alterada em 1958/1959.

Nesta classificação constavam:

– 12 Premier Grand Cru Classé de Saint-Émilion

– 63 Grand Cru Classé de Saint-Émilion

– A originalidade e a força dessa classificação residem no fato de serem revisadas a cada 10 anos, um verdadeiro fator de emulação, aonde todos os vinicultores buscam a melhor qualidade.

Até agora esta classificação foi revisada em 1969, 1986, 1996, 2006 e 2012.

Na classificação de 2012 constam:

– 04 Premier Grand Cru Classé A

– 14 Premier Grand Cru Classé B

– 64 Grand Cru Classé

Critérios da Classificação da AOC Saint-Émilio Gran Cru

Essa classificação compreende duas categorias:

– Saint-Émilion Premier Grand Cru Classé A e B

– Saint-Émilion Grand Cru Classé

Para alcançar a nova classificação, os regulamentos de 2011 (publicados no jornal oficial em 16 de junho de 2018) estabelecem um conjunto de princípios simples, destinados a dar força e legitimidade a essa nova versão.

Foi criada uma comissão conhecida como a comissão de classificação “Crus Classés do Saint-Emilion Grand Cru”. 7 personalidades de renome do mundo do vinho e de fora de Saint-Emilion são responsáveis ​​por garantir o bom andamento de todo o procedimento.

A solicitação de classificação parte dos produtores, que devem apresentar um documento oficial, com um dossiê detalhado, acompanhado por:

– uma declaração precisa da base tributária da propriedade e o compromisso de não modificá-la sem a autorização prévia do INAO.

– documentos que atestam a reputação e os meios utilizados para desenvolvê-la (ações de promoção na França e no exterior, acolhimento do público, enoturismo).

– de informações sobre métodos de distribuição, e a cotação dos vinhos.

– a descrição de todos os fatores técnicos que contribuem para a excelência dos vinhos produzidos e qualquer outra informação adicional útil para a avaliação da Comissão.

Um exame aprofundado dos arquivos é acompanhado por visitas às fazendas e dedica um local importante para a degustação dos vinhos apresentados.

Para avaliar o nível de qualidade e consistência dos vinhos, é realizada uma degustação por um júri de provadores especializados em 10 safras de candidatos à menção de “Grand Cru Classé” e em 15 safras de candidatos à menção de “Premier Grand Cru Classé B” e 20 safras de candidatos à menção de “Premier Grand Cru Classé A”.

O nível de qualidade e consistência dos vinhos é avaliado por um júri, que leva em consideração:

Premier Grand Cru Classé

– Lado A- 20 safras- mínimo 17/20

– Lado B- 15 safras- mínimo 16/20

– Qualidade do vinho- 30%

– Notoriedade/Status- 35%

– Terroir/Espólio- 30%

– Viticultura/Enologia- 5%

Grand Cru Classé

– 10 safras- mínimo 14/20

– Qualidade do vinho- 50%

– Notoriedade/Status- 20%

– Terroir/Espólio- 20%

– Viticultura/Enologia- 10%

a. Promovido ao Premier Grand Cru Classé em 2006 e rebaixado em 2008
b. Desclassificado em 2006 e restabelecido em 2008
c. Classificado em 2006 e desclassificado em 2008
d. Promovido em 2012
e. Rebaixado em 2012
f. Não se inscreveu para classificação, deixou de existir e foi absorvido pelo Château Cheval Blanc em 2012

O Château la Clusière não está mais listado, pois agora faz parte do Château Pavie e o Château Curé-Bon-la-Madeleine não está mais listado, pois agora faz parte do Château Canon.
O Château Guadet mudou seu nome de Château Guadet-St Julien em 2005
O Château Cadet Piola não está mais listado, pois agora faz parte do Château Soutard, o Château Bergat de Trottevielle, o Château Haut-Corbin de Grand Corbin e o Château Matras agora parcialmente no Château Canon
O Château Magdelaine se fundiu com o Château Bélair-Monange.

Degustações de vinhos de Saint-Émilion

Um site WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: