Rio Grande do Sul

Com os dados do Cadastro vitícola do Rio Grande do Sul (Embrapa), publicado em 2017, e que abrange os períodos de 2013 a 2015, podemos ter uma visão do cenário no estado, e que tentarei atualizar alguns dados para 2021.

Com os dados de 2015, o estado do Rio Grande do Sul possuía 40.336,22 hectares de vinhedos implantados, dos quais 33.981,82 hectares de variedades americanas e hibridas (84,25%) e 6.354,40 hectares de variedades Vitis viníferas (15,75%).

Estes vinhedos estão distribuídos pelas diversas microrregiões, sendo que a microrregião (MR) de Caxias do Sul concentra 80% da totalidade dos vinhedos (32.305,98 hectares), seguida pela MR de Vacaria (2.135,69 hectares), MR de Guaporé (1.633,97 hectares), MR da Campanha (Campanha Central, Meridional e Ocidental) com 1.330,40 hectares, MR da Serra do Sudeste (789,77 hectares), MR de Frederico Westphalen (618,32 hectares), sendo os restantes 1.522,18 hectares distribuídos nas outras microrregiões.

Como a área de interesse são os vinhos finos, vou me concentrar nas áreas de vinhedos de Vitis viníferas e suas microrregiões:

MR Caxias do Sul (Serra Gaúcha)

A microrregião de Caxias do Sul é formada por 19 municípios: Antonio Prado, Bento Gonçalves, Boa Vista do Sul, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Coronel Pilar, Cotiporã, Fagundes Varela, Farropilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Nova Pádua, Nova Roma do Sul, Pinto Bandeira, Santa Teresa, São Marcos, Veranópolis e Vila Flores.

Esta microrregião possui aproximadamente 3.536,53 hectares de vinhedos de Vitis viníferas implantados (2015), mais ou menos 50% de variedades tintas e 50% de variedades brancas.

O total da produção de uvas viníferas é de 54.194,24 toneladas, sendo a Moscato Branco a variedade com maior produção (e rendimento), produzindo um total de 10.300,09 toneladas; em seguida vem a Merlot com 6.482,61 toneladas.

Se transformarmos esta quantidade de uvas em litros de vinhos (coeficiente de 1,5kg uvas/litro) teremos um total de 36.130.000 litros (0,36 milhões de hectolitros)

  • Antônio Prado- 40,89 hectares
  • Bento Gonçalves- 672,17 hectares (Merlot, Cabernet Sauvignon, Chardonnay e Pinot Noir)
  • Boa Vista do Sul- 1,45 hectares (Alicante Bouschet e Malvasia)
  • Carlos Barbosa- 7,92 hectares (Moscato, Cabernet Sauvignon, Chardonnay e Cabernet Franc)
  • Caxias do Sul- 162,19 hectares (Cabernet Sauvignon, Merlot, Moscato e Chardonnay)
  • Coronel Pilar- 21,36 hectares (Chardonnay, Merlot, Cabernet Sauvignon e Glera/Prosecco)
  • Cotiporã- 184,80 hectares (Chardonnay, Merlot, Alicante Bouschet e Glera/Prosecco)
  • Fagundes Varela- 26,29 hectares (Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot e Malvasia)
  • Farroupilha- 500,58 hectares (Moscato, Cabernet Sauvignon, Merlot e Chardonnay)
  • Flores da Cunha- 183,32 hectares (Cabernet Sauvignon, Moscato, Merlot e Chardonnay)
  • Garibaldi- 290,86 hectares (Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay e pinot Noir)
  • Monte Belo do Sul- 584,32 hectares (Chardonnay, Riesling Itálico, Pinot Noir e Merlot)
  • Nova Pádua- 60,79 hectares (Cabernet Sauvignon, Malbec, Moscato e Chardonnay)
  • Nova Roma do Sul- 58,83 (Moscato, Merlot, Chardonnay e Cabernet Sauvignon)
  • Pinto Bandeira- 427,36 hectares (Chardonnay, Moscato, Pinot Noir e Merlot)
  • Santa Teresa- 115,56 hectares (Chardonnay, Riesling Itálico, Glera/Prosecco e Tannat)
  • São Marcos- 37,73 hectares (Cabernet Saauvignon, Merlot, Moscato e Ancellotta)
  • Veranópolis- 117,58 hectares (Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Chardonnay e Merlot)
  • Vila Flores- 42,53 hectares (Chardonnay, Cabernet Sauvignon, Trebbiano e Cabernet Franc)

Na Serra Gaúcha vamos ter uma sub região com Denominação de Origem (DO Vale dos Vinhedos) e 04 com Indicação de Procedência (IP Altos Montes, IP Farroupilha, IP Monte Belo e IP Pinto Bandeira)

DO Vale dos Vinhedos

Denominação de Origem Vale dos Vinhedos

Vinhos finos tranquilos brancos e tintos e vinhos espumantes finos são os produtos da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos.

O Vale dos Vinhedos foi a primeira Indicação Geográfica reconhecida do Brasil. Em 2002 obteve do INPI o registro de Indicação de Procedência (IP) e, em 2012, foi reconhecida a Denominação de Origem – a primeira DO de vinhos do Brasil.

Detalhes da DO:

A produção de uvas e a elaboração dos vinhos ocorrem exclusivamente na região delimitada do Vale dos Vinhedos, uma área de 72,45 km2 localizada nos municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul.

Existem requisitos específicos para de cultivo dos vinhedos, produtividade e qualidade das uvas para vinificação;

Os espumantes finos são elaborados exclusivamente pelo “Método Tradicional” (segunda fermentação na garrafa), nas classificações Nature, Extra-brut ou Brut; para este produto as uvas Chardonnay e/ou Pinot Noir são de uso obrigatório; 

Nos vinhos finos brancos, a uva Chardonnay é de uso obrigatório, podendo ter corte com a Riesling Itálico;

O uso da uva Merlot é obrigatória para os vinhos finos tintos da DO, os quais podem ter cortes com vinhos elaborados com as uvas Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Tannat;

Os produtos que passam por madeira envelhecem exclusivamente em barris de carvalho;

Para chegar ao mercado, os vinhos brancos passam por um período mínimo de envelhecimento de 6 meses; no caso dos vinhos tintos são 12 meses; os espumantes finos passam por um período mínimo de 9 meses em contato com as leveduras, na fase de tomada de espuma;

Os vinhos apresentam características analíticas e sensoriais específicas da região e somente são autorizados para comercialização os produtos que obtenham do Conselho Regulador da DO o atestado de conformidade em relação aos requisitos estabelecidos no Regulamento de Uso.

IP Altos Montes

Os espumantes finos brancos e rosados, o moscatel espumante e os vinhos finos tranquilos brancos, rosados e tintos secos são os produtos na IP.

Esta é a delimitação que apresenta as maiores altitudes das indicações geográficas da Serra Gaúcha, com montes que chegam a até 885m. Situada em importante área vitivinícola, a região foi pioneira na introdução e difusão de uvas viníferas para a Serra Gaúcha, ocorrida nos anos 1930. As temperaturas mais amenas resultam em colheitas mais tardias em relação à média da Serra Gaúcha.

Detalhes da IP:

A área geográfica delimitada totaliza 174 km2, localizada nos municípios de Flores da Cunha e Nova Pádua.

Para a elaboração dos vinhos, no mínimo 85% das uvas devem ser produzidas na área delimitada.

Os vinhedos são cultivados em espaldeira, existindo limites de produtividade e padrões de maturação das uvas para aumentar a qualidade dos produtos.

A elaboração, engarrafamento e envelhecimento dos vinhos são concentradas na área delimitada.

Os espumantes finos podem ser brancos e rosados, sendo elaborados com as variedades Chardonnay, Pinot Noir, Riesling Itálico e Trebbiano.

O moscatel espumante também pode ser branco ou rosado, sendo elaborado a partir das variedades Moscato Branco, Moscato Bianco R2, Moscato Giallo, Moscato de Alexandria e Malvasias.

Os vinhos finos tintos secos podem ser elaborados com as variedades Cabernet Franc, Merlot, Ancellotta, Cabernet Sauvignon, Pinot Noir, Refosco, Marselan e Tannat.

Os vinhos finos brancos secos podem ser elaborados com Riesling Itálico, Malvasia de Candia, Chardonnay, Sauvignon Blanc, Gewurztraminer e Moscato Giallo.

Os vinhos finos rosados secos podem ser elaborados com as cultivares Pinot Noir e Merlot.

Os vinhos são autorizados para comercialização somente após terem sido submetidos aos controles do Conselho Regulador da IP, garantindo a conformidade em relação aos requisitos estabelecidos no Regulamento de Uso.

Cada garrafa de vinho da IP Altos Montes possui um selo de controle numerado, o que possibilita a rastreabilidade dos produtos.

IP Farroupilha

Os produtos da Indicação de Procedência Farroupilha são os vinhos finos moscatéis, incluindo, moscatel espumante, vinho fino tranquilo branco moscatel, frisante moscatel, licoroso moscatel, mistela e brandy de moscatel

Esta é a primeira indicação geográfica nacional exclusivamente de vinhos moscatéis, sendo que a área delimitada concentra o maior volume de produção de uvas moscatéis do Brasil. Tem destaque a variedade conhecida por ‘Moscato Branco’, tradicional da região desde os anos 1930 e não encontrada em outros países. A IP Farroupilha responde por cerca de 50% do volume de produção da casta no país. Existem centenas de pequenos viticultores na região delimitada e os vinhos são elaborados por diversas vinícolas, distribuídas em todo o território da IP, no município de Farroupilha (RS).

Detalhes da IP:

A área geográfica delimitada possui 379 km2, 99% localizada no município de Farroupilha, com pequenas áreas em Caxias do Sul, Pinto Bandeira e Bento Gonçalves;

Uma particularidade desta delimitação da IP é possuir uma área de 129 km2 que historicamente concentra a produção de uvas moscatéis, da qual devem ter origem ao menos 85% das uvas utilizadas nos vinhos;

As variedades autorizadas na IP são: Moscato Branco (tradicional); Moscato Bianco; Malvasia de Cândia (aromática); Moscato Giallo; Moscatel de Alexandria; Malvasia Bianca; Moscato Rosado e Moscato de Hamburgo, sendo que os vinhedos possuem limites de produtividade;

Os vinhos somente podem ser elaborados com as uvas das variedades moscatéis autorizadas, produzidas na área delimitada;

A elaboração, o engarrafamento e o envelhecimento dos vinhos são feitos na origem (espumantes e frisantes podem ser engarrafadosnos municípios limítrofes da IP);

Existem padrões diferenciados para a elaboração de cada tipo de vinho, com controles analíticos e sensoriais;

Os vinhos são autorizados para comercialização somente após passarem pelos controles do Conselho Regulador da IP, que atesta a conformidade dos produtos em relação aos requisitos do Regulamento de Uso;

Cada garrafa de vinho da IP Farroupilha possui um selo de controle numerado, o que possibilita a rastreabilidade dos produtos.

IP Monte Belo

Os espumantes finos, o moscatel espumante e os vinhos finos tranquilos brancos e tintos secos são os vinhos da Indicação de Procedência Monte Belo

Reconhecida em 2013, esta delimitação situa-se à oeste da Serra Gaúcha vitivinícola, com altitudes mais baixas no Vale do Rio da Antas. O município de Monte Belo do Sul é o maior produtor per capita de uvas de variedades de Vitis vinifera (aquelas destinadas à elaboração de vinhos finos), da América Latina, com 16 t per capita/ano. Essa disponibilidade de uvas de qualidade, aliada ao sucesso da vizinha Denominação de Origem Vale dos Vinhedos, fez com que um grupo de pequenos produtores familiares decidissem ingressar no segmento de vinhos finos tranquilos e espumantes de origem controlada. Assim surgiu a IP Monte Belo.

Detalhes da IP:

A área delimitada da IP Monte Belo tem um total de 56,09 km², estando 80% no município de Monte Belo do Sul e o restante nos municípios de Bento Gonçalves e Santa Tereza.

São mais de 600 propriedades vitícolas na área delimitada formando um verdadeiro mosaico de vinhedos que ocupam 37% da área, com alta concentração de uvas viníferas de qualidade. A área delimitada situa-se próxima ao rio da Antas e possui, no seu entorno, um cinturão verde formado por matas nativas com declividade acentuada. A região está próxima ao Rio das Antas, com altitude média de 485 m (mínima de 349 m).

100% das uvas utilizadas na elaboração dos vinhos são produzidas na área delimitada.

Os vinhedos são submetidos a controles de produtividade e de maturação das uvas para maior qualidade dos vinhos.

Os espumantes finos brancos e rosados possuem uma composição exclusiva da região: mínimo de 40% de Riesling Itálico e de 30% de Pinot Noir (máximo de 30% de Chardonnay e 10% de Prosecco (Glera). Os espumantes elaborados pelo método tradicional ficam pelo menos nove meses em contato com as leveduras.

O moscatel espumante, branco ou rosado, é elaborado com pelo menos 70% de uvas moscato. As variedades autorizadas para esse produto são: Moscato Branco, Moscato Giallo, Moscato de Alexandria, Moscato de Hamburgo, Malvasia Bianca, Malvasia de Cândia.

São autorizados os vinhos finos tintos secos varietais Merlot, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon e Tannat, os quais devem ter no mínimo 85% de vinho da uva do varietal. O vinho tinto assemblage possui 40% de Merlot, mais cortes de, no máximo 40% de Cabernet Sauvignon, 30% de Cabernet Franc e 15 % de Tannat, Egiodola ou Alicante Bouschet.

Os vinhos finos brancos secos varietais são de Riesling Itálico ou de Chardonnay, os quais devem ter no mínimo 85% de vinho da uva do varietal. Os brancos de assemblage possuem no mínimo 60% de Riesling Itálico e 20% de Chardonnay.

A levedura Saccharomyces cerevisiae 24MB-CM06, selecionada na própria região, dá um diferencial de identidade sensorial aos vinhos da IP.

Os vinhos são autorizados para comercialização somente após terem sido submetidos aos controles do Conselho Regulador da IP, garantindo a conformidade em relação aos requisitos estabelecidos no Regulamento de Uso. Para irem ao mercado, todos os vinhos devem ser aprovados em degustação realizada às cegas.

Cada garrafa de vinho da IP Monte Belo apresenta um selo de controle numerado, o que possibilita a identificação pelo consumidor e permite a rastreabilidade dos produtos.

IP Pinto Bandeira

Os espumantes finos, o moscatel espumante e os vinhos finos tranquilos brancos, rosados e tintos secos são os produtos da Indicação de Procedência Pinto Bandeira

A Indicação de Procedência Pinto Bandeira foi reconhecida em 2010. Esta delimitação localiza-se na Serra Gaúcha em altitudes acima de 500 m. O clima mais ameno resulta num ciclo da videira mais longo, com a colheita mais tardia da uva.

Detalhes da IP:

A área geográfica delimitada da IP Pinto Bandeira possui 81,38 km2, abrangendo os municípios de Pinto Bandeira, Farroupilha e Bento Gonçalves.

No mínimo 85% das uvas devem ser produzidas na área delimitada e existem requisitos específicos para a produtividade dos vinhedos e a qualidade da matéria-prima para vinificação.

A produção dos vinhos é concentrada na área delimitada.

Os espumantes finos são elaborados exclusivamente pelo “Método Tradicional” (segunda fermentação na garrafa), com as variedades Chardonnay, Pinot Noir, Riesling Itálico e Viognier.

O moscatel espumante é elaborado a partir das variedades Moscato Branco, Moscato Giallo, Moscatel Nazareno, Moscato de Alexandria, Malvasia de Candia e Malvasia Bianca.

Os vinhos finos tintos de maior destaque são varietais de Cabernet Franc, Merlot, Tannat, Cabernet Sauvignon, Sangiovese e Pinot Noir.

Dentre os vinhos finos brancos têm destaque o varietal Chardonnay.

Os vinhos são autorizados para comercialização somente após terem sido submetidos aos controles do Conselho Regulador da IP, garantindo a atestação de conformidade em relação aos requisitos estabelecidos no Regulamento de Uso.

Cada garrafa de vinho da IP Pinto Bandeira possui um selo de controle numerado, o que possibilita a rastreabilidade dos produtos.

MR Vacaria (Campos de Cima da Serra)

A microrregião de Vacaria engloba 14 municípios: Bom Jesus, Cambará do Sul, Campestre da Serra, Campo Bonito do Sul, Esmeralda, Ipê, Jaquirana, Lagoa Vermelha, Monte Alegre dos Campos, Muitos Capões, Pinhal da Serra, São Francisco de Paula, São José dos Ausentes e Vacaria.

Esta microrregião possui aproximadamente 191,35 hectares de vinhedos de Vitis viníferas implantados (2015), sendo 135,34 hectares (71%) de variedades tintas e 56.01 hectares (29%) de variedades brancas.

O total da produção de uvas viníferas é de 1.223,35 toneladas, sendo a Cabernet Sauvignon a variedade com maior produção, produzindo um total de 427,26 toneladas; em seguida vem a Merlot com 230,57 toneladas.

Se transformarmos esta quantidade de uvas em litros de vinhos (coeficiente de 1,5kg uvas/litro) teremos um total de 815.000 litros.

Cabernet Sauvignon (52,03 hectares), Merlot (51,83 hectares), Pinot Noir (22,27 hectares) e Chardonnay (18,44 hectares) constituem a maioria dos vinhedos.

  • Bom Jesus- 0
  • Cambará do Sul- 0
  • Campestre da Serra- 39,16 hectares (Cabernet Sauvignon, Moscato, Merlot e Ancellotta)
  • Campo Bonito do Sul- 0
  • Esmeralda- 0
  • Ipê- 17,74 hectares (Cabernet Sauvignon, Merlot, Marselan)
  • Jaquirana- 0
  • Lagoa Vermelha- 9,50 (Merlot, Cabernet Sauvignon e Viognier)
  • Monte Alegre dos Campos- 12,92 hectares (Merlot, Chardonnay, Cabernet Sauvignon e P. Noir)
  • Muitos Capões- 53,69 hectares (Merlot, Cabernet Sauvignon, Pinot Noir e Chardonnay)
  • Pinhal da Serra- 0
  • São Francisco de Paula- 0,45 hectares (Ruby)
  • São José dos Ausentes- 0
  • Vacaria- 57,89 hectares (Merlot, Pinot Noir, Chardonnay e Viognier)

MR Campanha Gaúcha

A meso região da Campanha Gaúcha se divide em 03 microrregiões:

– Campanha Ocidental com 10 municípios: Alegrete, Barra do Quarai, Garruchos, Itaqui, Maçambara, Manoel Viana, Quarai, São Francisco de Assis, São Borja e Uruguaiana.

– Campanha Central com 04 municípios: Rosário do Sul, Santana do Livramento, Santa Margarida do Sul e São Gabriel.

– Campanha Meridional com 05 municípios: Aceguá, Bagé, Dom Pedrito, Hulha Negra e Lavras do Sul.

A região da Campanha Gaúcha possuía 1.314,77 hectares de vinhedos implantados em 2015, sendo todos de variedades Vitis viníferas, os quais estão distribuídos pela Campanha Central (990,58 ha), Campanha Meridional (223,83 ha) e Campanha Ocidental (110,36 ha)

O total da produção de uvas viníferas é de 7.156,05 toneladas, sendo a Chardonnay a variedade com maior produção, produzindo um total de 1.499,60 toneladas; em seguida vem a Cabernet Sauvignon com 1.401,29 toneladas.

Se transformarmos esta quantidade de uvas em litros de vinhos (coeficiente de 1,5kg uvas/litro) teremos um total de 4.770.000 litros (0,048 milhões de hectolitros).

– Campanha Ocidental possui 110,36 hectares de vinhedos, com predominância das variedades Cabernet Sauvignon (41,28 ha), Chardonnay (24,32 ha), Merlot (12,66 ha) e Cabernet Franc (10,75 ha).

  • Alegrete- 3,52 hectares (Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon)
  • Barra do Quarai- 0
  • Garruchos- 0
  • Itaqui- 2,27 hectares (Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Marselan e Tannat)
  • Maçambara- 16,41 hectares (Chardonnay, Cabernet Sauvignon, Merlot e Tannat)
  • Manoel Viana- 0
  • Quarai- 64,12 hectares (Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot e Cabernet Franc)
  • São Francisco de Assis- 0
  • São Borja- 0
  • Uruguaiana- 24,04 hectares (Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Sauvignon Blanc e Merlot)

– Campanha Central possui 980,58 hectares de vinhedos, com predominância das variedades Chardonnay (201,32 ha), Cabernet Sauvignon (175,03 ha), Tannat (110,47 ha) e Merlot (92,81 ha)

  • Rosário do Sul- 12,91 hectares (Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay e Tannat)
  • Santa Margarida do Sul- 5,10 hectares (Moscato, Cabernet Sauvignon, Chardonnay e Merlot)
  • Santana do Livramento- 962,57 hectares (Chardonnay, Cabernet Sauvignon, Tannat e Merlot)
  • São Gabriel- 0

– Campanha Meridional possui 223,83 hectares de vinhedos, com predominância das variedades Cabernet Sauvignon (63,30 ha), Chardonnay (50,28 ha), Tannat (22,49 ha) e Merlot (22,44 ha).

  • Aceguá- 0
  • Bagé- 105,33 hectares (Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Tannat e Pinot Noir)
  • Dom Pedrito- 93,73 hectares (Cabernet Sauvignon, Chardonnay, merlot e Tannat)
  • Hulha Negra- 16,19 hectares (Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay e Cabernet Franc)
  • Lavras do Sul- 8,58 hectares 9Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon

Possui uma Indicação de Procedência

IP Campanha Gaúcha

Os vinhos finos tranquilos brancos, rosados e tintos e os espumantes naturais são os produtos na IP.

Esta é uma delimitação localizada no bioma Pampa do estado do Rio Grande do Sul, região vitivinícola que começou a se fortalecer na década de 1980, ganhando novo impulso nos anos 2000, com o crescimento do número de produtores de uva e de vinho, expandindo a atividade para diversos municípios da região. É a região produtora mais quente e com menor volume de chuvas do Sul do Brasil. A área de vinhedos com variedades de Vitis vinifera da região totaliza 1.560 ha (dados do Cadastro Vitícola de 2015), cultivados tradicionalmente em espaldeiras. A área da IP Campanha Gaúcha está localizada entre as coordenadas 29º e 32º de Latitude Sul, sendo contornada pelas regiões da Serra do Sudeste, Depressão Central e Missões e pelos limites de fronteira com a Argentina e o Uruguai.

Detalhes da IP:

A área geográfica delimitada totaliza 44.365 km2.

A área da IP abrange, em todo ou em parte, 14 municípios da região: Aceguá, Alegrete, Bagé, Barra do Quaraí, Candiota, Dom Pedrito, Hulha Negra, Itaqui, Lavras do Sul, Maçambará, Quaraí, Rosário do Sul, Santana do Livramento e Uruguaiana.

Para a elaboração dos vinhos, 100% das uvas devem ser produzidas na área delimitada.

Os vinhedos são cultivados em espaldeiras, existindo limites de produtividade e padrões de maturação das uvas para aumentar a qualidade dos produtos.

Para a elaboração dos vinhos, são autorizadas 36 cultivares de videira produzidas na região, todas elas de Vitis vinifera.

Os vinhos finos tranquilos brancos, rosados e tintos e os espumantes naturais são os produtos autorizados na IP.

Os vinhos varietais são elaborados com no mínimo 85% da respectiva variedade indicada no vinho varietal.

Os vinhos com indicação de safra têm em sua composição no mínimo 85% da respectiva safra mencionada.

Os vinhos devem atender a padrões analíticos específicos da IP associados à qualidade e devem ser aprovados em avaliação sensorial realizada às cegas por comissão de degustação.

MR Serra do Sudeste

A microrregião da Serra do Sudeste engloba 08 municípios: Amaral Ferrador, Caçapava do Sul, Candiota, Encruzilhada do Sul, Pedras Altas, Pinheiro Machado, Piratini e Santana da Boa Vista.

A região da Serra do Sudeste possuía 755,48 hectares de vinhedos implantados em 2015, com predominância das variedades Chardonnay (147,54 ha), Pinot Noir (136,62 ha), Cabernet Sauvignon (102,46 ha) e Merlot (69,69 ha).

O total da produção de uvas viníferas é de 4.153,22 toneladas, sendo a Chardonnay a variedade com maior produção, produzindo um total de 800,43 toneladas; em seguida vem a Pinot Noir com 726,09 toneladas.

Se transformarmos esta quantidade de uvas em litros de vinhos (coeficiente de 1,5kg uvas/litro) teremos um total de 2.770.000 litros (0,028 milhões de hectolitros).

  • Amaral Ferrador- 0
  • Caçapava do Sul- 10,05 hectares (Cabernet Sauvignon, Barbera, Merlot e Moscato)
  • Candiota- 218,73 hectares (Pinot Noir, Cabernet Sauvignon, Pinot Gris e Tempranillo)
  • Encruzilhada do Sul- 398,08 hectares (Chardonnay, Pinot Noir, Cabernet Sauvignon e Merlot)
  • Pedras Altas- 9,52 hectares (Cabernet Sauvignon, Merlot e Pinot Noir)
  • Pinheiro Machado- 114,40 hectares (Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Chardonnay)
  • Piratini- 4,70 hectares (Pinot Noir, Riesling Itálico, Cabernet Sauvignon e Moscato)
  • Santana da Boa Vista- 0

MR Guaporé

A microrregião do Guaporé engloba 21 municípios: André da Rocha, Anta Gorda, Arvorezinha, Dois Lajeados, Guabiju, Guaporé, Itapuca, Ilópolis, Montauri, Nova Araça, Nova Alvorada, Nova Bassano, Nova Prata, Paraí, Putinga, Protásio Alves, São Jorge, São Valentim do Sul, Serafina Corrêa, União da Serra e Vista Alegre do Prata.

A região do Guaporé possuía 351,79 hectares de vinhedos de variedades viníferas implantados em 2015, com destaque para a Moscato Branco (116,18 ha), Cabernet Sauvignon (43,13 ha), Trebbiano (32,19 ha) e Chardonnay (27,98 ha).

O total da produção de uvas viníferas é de 5.564,15 toneladas, sendo a Moscato Branco a variedade com maior produção, produzindo um total de 2.636,04 toneladas; em seguida vem a Trebbiano com 630,71 toneladas.

Se transformarmos esta quantidade de uvas em litros de vinhos (coeficiente de 1,5kg uvas/litro) teremos um total de 3.700.000 litros (0,037 milhões de hectolitros).

  • André da Rocha- 6,48 hectares (Pinot Noir, Chardonnay e Merlot)
  • Anta Gorda- 0
  • Arvorezinha- 0
  • Dois Lajeados- 43,97 hectares (Chardonnay, Cabernet Sauvignon, Alicante Bouschet e Merlot)
  • Guabiju- 4,46 hectares (Moscato branco)
  • Guaporé- 32,15 hectares (Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot e Trebbiano)
  • Itapuca- 0
  • Ilópolis- 0
  • Montauri- 0
  • Nova Araçá- 2,86 hectares (Cabernet Sauvignon)
  • Nova Alvorada- 0
  • Nova Bassano- 0
  • Nova Prata- 15,71 hectares (Pinot Noir, Chrdonnay, Riesling Itálico e Alvarinho)
  • Paraí- 11,66 hectares (Moscato e Trebbiano)
  • Putinga- 0
  • Protásio Alves- 1,50 hectares (Marselan)
  • São Jorge- 139,23 hectares (Moscato, Trebbiano, Cabernet Sauvignon e Malvasia)
  • São Valentim do Sul- 93,83 hectares (Cabernet Sauvignon, Egiodola, Ancellotta e Trebbiano)
  • Serafina Corrêa- 0
  • União da Serra- 0
  • Vista Alegre do Prata- 0

As outras microrregiões possuem um total de 204,44 hectares de vinhedos de Vitis viníferas:

  • Mr Camaquã (28,27 ha)
  • MR Carazinho (5,08 h)
  • MR Erechim (8,96 ha)
  • MR Frederico Westphalen (44,95 ha)
  • MR Gramada-Canela (18,25 ha)
  • MR Lajeado-Estrela (13,23 ha)
  • MR Montenegro (32,69 ha)
  • MR Passo Fundo (15,53 ha)
  • MR Porto Alegre (9,76 ha)
  • MR Sananduva (1,25 ha)
  • MR Santa Cruz do Sul (4,27 ha)
  • MR Santa Maria (13,68 ha)
  • MR Santo Ângelo (1,38 ha)
  • MR Três Passos (7,14 ha).

Um site WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: