Rabada com Agrião

Ingredientes (02 a 03 pessoas):

– 1 rabo de boi

– sal

– pimenta do reino

– ervas finas

– 2 folhas de louro

– vinho tinto

– óleo de milho

– 4 dentes de alho laminado

– 1 cebola grande picada grosseiramente

– 1 pimenta vermelha picada

– 1 maço de agrião, bem lavado

Modo de fazer:

Na véspera:

– Corte o rabo nas juntas, limpe toda a pele e gordura externa; é um pouco trabalhoso, mas fica melhor, se preferir tipo rustica de rancho (para comer com cachaça, farinha e pimenta pode só tirar o excesso de gordura).

Outros métodos seria fritar o rabo e desprezar a gordura, ou assar e desprezar a gordura; eu testei todos e o melhor é limpar bem mesmo.

– Tempere com o sal, pimenta do reino, ervas finas e o louro.

– Marine com meia garrafa (375 ml) de vinho tinto.

– Tampe e deixe na geladeira por um dia.

No dia:

– Numa panela de ferro (ou de pressão) adicione um pouco de óleo de milho, e deixe esquentar bem.

– Frite os pedaços de rabo, dourando-os bem, retire e reserve.

– Frite o alho, adicione a pimenta, acrescente a cebola e refogue.

– Retorne os pedaços de rabo e mexa para incorporar o refogado.

– Adicione o vinho da marinada e cozinhe até secar.

– Adicione agua quente até cobrir

– Cozinhe por aproximadamente 3 horas (até ficar mole, quase saindo dos ossos), acrescentando mais agua se for necessário.

Obs- na panela de pressão leva em torno de 45 minutos.

– Depois de cozida e ficando só um resto de molho, retire a rabada e reserve; está pronta para servir.

– No molho que restou, adicione o agrião, desligue o fogo e mexa (o agrião vai murchar)

Obs- o agrião tem bastante iodo e puxa muito a sensação de sal, então cuidado para a rabada não ficar salgada, que o agrião vai acentuar o sal mais ainda.

– Servir a rabada com o molho de agrião

Acompanhamentos:

– Arroz branco

-Farinha de mandioca

– Polenta

Harmonização com vinhos:

O valenciano Angosto 2009 não foi das escolhas mais felizes para este prato, tanto para marinar, como para harmonizar; acabou dando um toque meio frutado (artificial) na rabada que alterou um pouco o sabor típico dela; normalmente para este prato eu uso um bom vinho do Rhône, Cabernet Franc, Rioja ou mesmo Priorat, mas foi o que tentei para hoje.

Nem sempre se acerta, mas fica a lição (que na verdade já sigo), use vinhos adequados e bons nas suas receitas, faz toda a diferença.

Um site WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: